As crianças precisam de ser crianças

Ontem o meu filho chorou com saudades dos amigos. Chorou compulsivamente. Disse-me que tem saudades até daqueles de quem não gosta. Sente inveja da irmã porque ela pode ir à escola e ele não e, por isso, assim que ela chega a casa, provoca discussões para poder descarregar nela as suas frustrações. Desinteressou-se de aprender. Faz os mínimos olímpicos, entediado e em protesto, quando tem capacidade para muito mais. Nós tentamos entretê-lo como podemos. O pai, em teletrabalho mas sem qualquer diminuição da intensidade, ao final do dia tenta sempre ir jogar com ele à bola. Eu, negligenciando por completo quer a minha escrita quer o meu negócio próprio, levo-o a dar pequenos passeios a meio do dia. Muitas vezes passamos dias inteiros na praia e até já estivemos com dois dos seus amigos em pequenos programas de fim-de-semana. Mas não chega.

A minha filha, andava a portar-se mal. Birrenta, carente, embirrante. Assim que regressou ao jardim de infância, no início deste mês, voltou a cantarolar, a cumprir regras, a ser carinhosa. Eu não queria mandá-la, mas ela pediu-me muito. Disse que tinha saudades das amigas. Acorda com energia e não quer chegar atrasada. Ficou triste quando lhe disse que para a semana vamos para Sesimbra e não vai poder ir. Tive de prometer que só vamos uma semana.

As crianças precisam de outras crianças. De aprender a socializar com os seus pares, e não apenas com os seus pais. Precisam das pequenas disputas e conflitos, dos abraços e das gargalhadas, de fazer disparates que sabem que os adultos não vão aprovar. Precisam de correr, gritar, jogar, descobrir o seu espaço, desenvolver a sua identidade. A escola é o único lugar que têm para fazê-lo, numa altura em que já abriram restaurantes, museus, centros comerciais, creches, jardins de infância, mas não os parques infantis.

Se as escolas não abrirem em Setembro, não estaremos apenas a privar os pais de irem trabalhar e tentar o milagre de salvar a economia. Não estaremos apenas a privar todos os cidadãos dos 6 aos 16 anos de usufruírem de um dos seus direitos fundamentais, segundo a Declaração Universal dos Direitos das Crianças, cujo princípio 7º sustenta que «a criança tem direito à educação, que deve ser gratuita e obrigatória, pelo menos nos graus elementares. Deve ser-lhe ministrada uma educação que promova a sua cultura e lhe permita, em condições de igualdade de oportunidades, desenvolver as suas aptidões mentais, o seu sentido de responsabilidade moral e social e tornar-se um membro útil à sociedade. O interesse superior da criança deve ser o princípio directivo de quem tem a responsabilidade da sua educação e orientação, responsabilidade essa que cabe, em primeiro lugar, aos seus pais. A criança deve ter plena oportunidade para brincar e para se dedicar a actividades recreativas, que devem ser orientados para os mesmos objectivos da educação; a sociedade e as autoridades públicas deverão esforçar-se por promover o gozo destes direitos.»

Se as escolas não abrirem em Setembro, estaremos sobretudo a impedi-las de crescer de forma saudável. E isso terá consequências a nível social e psicológico. Consequências para uma geração inteira.

3 thoughts on “As crianças precisam de ser crianças

  1. Avó de alguns netos diz:

    Parabéns pela crónica. As crianças têm, felizmente, uma capacidade de recuperação que supera em muito a dos adultos por isso esperamos todos que a vida do dia-a-dia que lhes era conhecida até agora e que foi abriptamente interrompida, terá que voltar muito em breve.

    Gostar

Deixe uma Resposta para Avó de alguns netos Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.