A guerra e as suas consequências

É difícil para toda a gente estarmos em guerra, especialmente para os ucranianos e o pior é que não podemos fazer nada por causa das regras da NATO e da UE blá blá blá.

Já morreram 2500 pessoas em Mariupol e virão a ser muitas mais, essa cidade pacífica que nunca fez nada a ninguém. Milhares de pessoas estão a ficar feridas e mortas em vários bombardeamentos e Odessa, uma cidade inocente que nunca ameaçou ninguém, está prestes a ser atacada. O caso que eu mais admiro é o de Zelensky, que rejeitou ser resgatado pelos Estados Unidos para estar a defender a sua nação. Um presidente que era um simples ator e, por ter feito um papel de presidente num filme, decidiu candidatar-se e hoje é, na minha opinião, o melhor presidente do mundo.

O que mais me toca é o caso dos desportistas. Tanto os russos como os ucranianos estão a ser afetados com esta guerra. Eu faço todo o desporto que houver para fazer e acompanho muitos desportos. A seleção de voleibol russa, a de futebol que ia jogar o playoff do mundial, o Danil Medvedev, tenista russo que tinha acabado de chegar ao número 1 mundial, Nikita Mazepin, o novato da fórmula 1 que ia concretizar o sonho e foi impedido de participar nas corridas. E a lista é interminável.

Onde eu quero chegar é que mesmo que a Rússia invada a Ucrânia com sucesso, nunca vai ganhar esta guerra, porque nos tempos seguintes todos os cidadãos russos vão ter vergonha da sua nação e de dizer que são russos.

Tiago Fonseca Silva Janes

(10 anos)

One thought on “A guerra e as suas consequências

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.